Os caminhos do Flamengo para neutralizar qualidades do Grêmio

O GLOBO: Carlos Eduardo Mansur

Não existe facilidade em semifinal de Libertadores, e o Grêmio tem uma série de qualidades que merecem atenção do Flamengo no confronto que vale a passagem para Santiago. No lugar de enfrentar um time capaz de se tornar uma rocha defensiva como vinha sendo o Palmeiras de Felipão, o rubro-negro terá pela frente um Grêmio que, com Renato Gaúcho à frente, tem como base de seu jogo a construção ofensiva.

Ninguém deve acreditar na história do “joga e deixa jogar”. Se deixasse, o tricolor não seria semifinalista pelo terceiro ano seguido. Mas é possível que o rubro-negro conduza este duelo para o terreno da qualidade técnica, onde é superior.

Neste 2019, a forma mais habitual para provocar dano no Grêmio é explorar sua recomposição defensiva, especialmente os espaços às costas dos laterais. Em parte, tem a ver com a saída de Ramiro. O agora jogador do Corinthians, volante de origem, formava o trio de meias por trás do centroavante até o ano passado, no 4-2-3-1 gremista. Ramiro partia da ponta direita e, na perda da bola, ajudava a proteger a equipe.

Torcida do Flamengo no Itaquerão - Foto: Alexandre Vidal
Sem ele, Renato passou a usar pontas ofensivos pelos lados — Alisson e Éverton. A mudança gerou desequilíbrios que o treinador vem corrigindo.

Ainda assim, quando se instala no ataque, o Grêmio avança seus dois laterais e faz os pontas trabalharem mais pelo centro. Lá se juntam a Jean Pyerre, o jovem meia de ótima técnica. O excelente Éverton ganhou mais liberdade, e o time tem enorme capacidade de se agrupar em torno da bola e infiltrar através de passes curtos. Um modelo aperfeiçoado ao longo de três anos sob as ordens de Renato Gaúcho.

Será fundamental o Flamengo cuidar do espaço entre as linhas de defesa e meio-campo. O papel dos volantes que Jorge Jesus escolher será decisivo. Por outro lado, por vezes o jogo gremista afunila, e o time tem dificuldade de penetrar. E, na perda da bola, permite contragolpes a partir de passes em diagonal para os lados do campo. Renato tem feito o lateral do lado oposto ao que a jogada se desenvolve cuidar um pouco mais do aspecto defensivo, em busca de equilíbrio.

A pressão que o Flamengo de Jorge Jesus faz deverá ser fundamental. Em especial nos volantes Maicon e Matheus Henrique, iniciadores de jogadas que “carimbam” todos os lances.

Contra o Palmeiras, o Grêmio soube defender sua área e jogar atrás após ter vantagem, mas há formas de o Flamengo encontrar o gol caso enfrente um adversário mais fechado.

Uma delas, a capacidade que o time desenvolveu de triangular pelos lados e gerar infiltrações no espaço entre lateral e zagueiro dos rivais. Em especial pela direita, com Gabigol e Éverton Ribeiro ou Gerson, além da chegada de Rafinha ou Arão. Além disso, a mobilidade de Gabigol e Bruno Henrique pode tirar de lugar os ótimos Geromel e Kannemann.

Além disso, a mobilidade de Gabigol e Bruno Henrique pode tirar de lugar os ótimos Geromel e Kannemann.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget