A diferença entre Jorge Jesus e os técnicos brasileiros

BLOG DO MENON: Os treinadores brasileiros são ultrapassados, como disse Jorge Jesus antes de trabalhar aqui.

Eu diria que eles sofrem do efeito manada. Todos optam pelo mesmo estilo de jogo. Há dez anos, era o 3-5-2. Depois, o 4-2-4 e atualmente o 4-2-3-1.

Mas a questão principal não é o esquema, embora em nome dele, jogadores sejam sacrificados. Fulano não pode jogar junto com sicrano.

O que pega de verdade é a filosofia praticada. Algo assim:

1) O importante é não perder

2) Toda vantagem conseguida deve ser defendida com unhas e dentes

3) É muito mais importante defender a vantagem do que ampliá-la.

4) A única maneira possível de se manter uma diferença é recuar o time é apostar em contra-ataque.

Foto: Divulgação
Renato é uma exceção.

E Jesus?

Ao contrário dos colegas, ele não adapta os jogadores a um esquema definido. Ele tem conseguido escalar seus melhores jogadores aí mesmo tempo. Arão é o volante. Gérson, Everton Ribeiro e Arrascaeta no meio. Gabigol e Bruno Henrique no ataque.

E, quando consegue uma vantagem, o time luta para aumentá-la.

Evidentemente, a quantidade de jogadores com alto nível técnico ajuda Jesus a fazer sua opção pela qualidade.

"Ah, assim até eu", pode-se dizer.

Não é verdade. A grande maioria dos brasileiros escalaria um volantão ao lado de Arão.

E a rima pobre seria um problemão e não uma solução, Carlos Drummond de Andrade que me perdoe pela ousadia.

E a rima pobre seria um problemão e não uma solução, Carlos Drummond de Andrade que me perdoe pela ousadia.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget