Flamengo sugere fim das semifinais de Taça Rio e Guanabara

OLHAR OLÍMPICO: Os Campeonatos Mineiros, Gaúcho e Carioca deverão ter o mesmo formato a partir do ano que vem, seguindo o tradicional modelo do Estadual do Rio de Janeiro. Dona dos direitos de transmissão dos três torneios, a Rede Globo tem pressionado clubes e federações estaduais para que os torneios tenham modelo idêntico, com duas finais de turno e, se necessário, uma final entre os vencedores dos turnos. Nesse formato, os torneios teriam 16 datas, exatamente conforme o que estipula o calendário da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A emissora defende que um padrão único ajudaria o torcedor a compreender melhor o futebol.

No Rio Grande do Sul já está definido que será assim. Encerrado o Campeonato Gaúcho deste ano, a confederação sentou com a Globo, com clubes e com patrocinadores e bateu o martelo de que o estadual do ano que vem será no modelo desejado pela emissora carioca. Por força da Lei Pelé, obrigatoriamente o regulamento precisa ser mantido por ao menos dois anos, o que obriga que o Gaúcho de 2021 também tenha essa estrutura.

Foto: Divulgação
No passado, modelo parecido chegou a ser utilizado. Entre 2009 e 2013, por exemplo o Gaúcho também teve dois turnos, mas com oito equipes por grupo e duelos de quartas de final nos turnos. Naquela época, os turnos foram nomeados Taça Farroupilha (antes Taça Fabio Koff) e Taça Piratini (antes Taça Fernando Carvalho).

A partir do ano que vem os 12 participantes serão divididos em dois grupos, jogando contra os rivais da mesma chave no primeiro turno e do outro grupo no segundo. Os dois melhores de cada grupo avançam à semifinal, em jogo único. A final do turno também é em jogo único. Se o mesmo time vencer ambos, é campeão estadual. Se duas equipes diferentes vencerem, o torneio tem mais um jogo, decisivo.

A informação foi revelada por Leonardo Barbosa, diretor de competições da Federação Mineira, durante palestra na Brasil Futebol Expo, que está acontecendo em São Paulo. Na plateia, o presidente da Federação do Rio, Rubens Lopes, assentiu com a cabeça, confirmando que há uma pressão da Globo sobre os três estaduais. Segundo Barbosa, em Minas o formato só será definido no Conselho Técnico do torneio.

Há mais de uma década o Mineiro tem o mesmo formato: 12 times jogam em turno único, com os melhores avançando para os mata-matas. Só variou o número de fases eliminatórias. Nas últimas duas temporadas o torneio teve quartas de final em jogo único, o que deixou o campeonato com 16 datas. O Gaúcho é quase idêntico, mas com quartas em ida e volta e, portanto, 17 datas.

O Rio também precisaria se readaptar. Nos últimos dois anos o torneio até teve as tradicionais Taça Guanabara e Taça Rio, mas a fase final contou com quatro equipes, que jogaram semifinal (em jogo único) e final (em dois turnos). Pela proposta da Globo, só quem for campeão de turno pode chegar à final, o que cortaria duas datas. O Carioca também tem uma particularidade: são oficialmente 16 clubes na Série A, mas seis deles jogam uma fase preliminar, que seleciona dois para o restante do torneio.

Ao blog do Rodrigo Mattos, Lopes já havia admitido a possibilidade de suprimir a semifinal do estadual ou as duas semifinais dos turnos, reconhecendo também a possibilidade de utilizar as datas Fifa para jogos do Estadual. De acordo com o mesmo blog, o Flamengo já sugeriu a extinção das semifinais de turno.

Pelo que apurou o Olhar Olímpico, não há possibilidade de se mexer no modelo do Campeonato Paulista agora. O torneio tem 16 clubes, que fazem 12 partidas na primeira fase. Oito avançam às quartas de final, já disputada em ida e volta. São seis jogos eliminatórios, o que deixa o campeonato com 18 datas. Também ao colega Rodrigo Mattos, o presidente da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos, disse que a intenção é manter o torneio como está, mas que, se for necessário, será respeitado o limite de 16 datas.

O contrato com a Federação Paulista impede uma mudança drástica de formato até 2021, mas a Globo confia no sucesso dos outros três estaduais para convencer os paulistas a mudarem o modelo a partir de 2022.

Em nota ao blog, a Globo confirmou o interesse em patronizar os estaduais, mas ressaltou que a decisão final é das federações e dos clubes. "Não há imposição, até porque os formatos das competições são definidos pelas entidades organizadoras e pelos clubes participantes. Como parceiros, o que buscamos é colaborar com a discussão. A nossa visão é que a simplificação e a padronização dos formatos dos estaduais tornariam mais fácil a compreensão das disputas para torcedores de todo o país, beneficiando o futebol. Mas a decisão final é das federações", disse Fernando Manuel, diretor de gestão do futebol do Esporte da Globo.

Rubens Lopes já havia admitido a possibilidade de suprimir a semifinal do estadual ou as duas semifinais dos turnos,.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget