Gabigol está próximo de igualar Adriano e mira média de Zico

UOL: "Hoje tem gol do Gabigol". A frase que ganhou as arquibancadas nos jogos do Flamengo e virou mania entre os torcedores demonstra a boa fase pela qual passa o camisa 9, que está a apenas uma bola na rede de igualar o número alcançado por Adriano Imperador, no Campeonato Brasileiro de 2009, a última vez que a equipe rubro-negra teve um artilheiro da competição.

Uma década depois, Gabigol demonstra condições de ser o artilheiro do Flamengo com uma média melhor que Adriano e até mesmo que Zico, maior ídolo da história do Rubro-Negro.

Um dos grandes destaques da temporada e protagonista de um ataque que, no duelo com o Internacional, chegou aos 100 gols em partidas oficiais na temporada, Gabigol tem, nesta edição do Brasileiro, 18 gols em 17 partidas disputadas, uma média de 1,05 gol por jogo.

Gabigol durante Flamengo x Internacional - Foto: Alexandre Vidal
A última vez que um jogador do Flamengo figurou como artilheiro da competição nacional foi em 2009, ano em que a equipe comandada pelo técnico Andrade se sagrou campeã. Na ocasião, Adriano, que havia retornado à Gávea após passagem pela Inter de Milão, da Itália, balançou a rede 19 vezes em 30 partidas, obtendo uma média de 0,63 gols por partida.

À época, o Imperador ocupou um espaço após um hiato ainda maior. Zico, em 1982, havia sido o último jogador rubro-negro a estar no topo da lista de goleadores do Brasileiro. No referido ano, foram 21 gols em 23 jogos, tendo média de 0,91. Dois anos antes, o 'Galinho de Quintino' também foi artilheiro do torneio, com 21 gols em 19 partidas, conquistando uma média de 1,1 gol por jogo.

Mantendo a média, Gabigol pode estabelecer um novo recorde no Campeonato Brasileiro, que até hoje pertence a Washington. Na edição de 2004, o "Coração Valente", à época no Athletico-PR, marcou 34 vezes, número que não foi ultrapassado desde então.

O bom rendimento e os gols fizeram com que Gabriel caísse nas graças da torcida e se tornasse xodó, com direito até a sósia fazendo sucesso.

"O Gabriel é essa coisa da paixão. Eles gostam da forma como festeja os gols, a forma como aparece nos jogos, o cabelo. A torcida tenta imitá-lo e isso é muito bom. É um sinal de amor e paixão. Como digo, vocês sabem valorizar a beleza e a paixão que colocam nos jogos. É impressionante e apaixonante", disse o técnico Jorge Jesus, após a vitória sobre a equipe colorada, na última quarta-feira.

Fase goleada após estar em xeque como 9
No começo do ano, ainda no Campeonato Carioca, quando Henrique Dourado e Uribe estavam no elenco rubro-negro, o então técnico Abel Braga deu indício que poderia utilizar o camisa 9 como ponta, utilizando outras opções como referência do setor ofensivo.

"Como temos que propor jogo, eu prefiro um cara mais agudo lá dentro, um cara mais de área, que prenda os zagueiros. E aí esses jogadores de movimentação sabem quebrar linhas, Gabriel, Éverton Ribeiro, Arrascaeta e o próprio Bruno Henrique", explicou o treinador, à época.

A chegada do técnico Jorge Jesus não mudou muito o cenário. Em meio às mudanças realizadas na formação da equipe titular, o treinador português também indicou que enxergava Gabigol como um jogador mais "de lado de campo". A diretoria chegou a ir ao mercado por um 9 de ofício e fez proposta por Pedro, ex-Fluminense e hoje na Fiorentina, da Itália, e pelo italiano Balotelli.

Ritmo de despedida?
O contrato de Gabigol com o Flamengo é de empréstimo junto à Inter de Milão, da Itália, e vai apenas até o fim do ano. A torcida vem pedindo pela permanência do atacante e a diretoria não esconde o desejo de contar com ele na próxima temporada, mas admite que a operação não promete ser fácil - o vínculo com o clube italiano vai até junho de 2021.

"Difícil falar em movimentação ou não. Mas claro que é um desejo pela relação que ele teve com o manto, como se relaciona com a torcida. Não é simples, não é fácil uma operação dessa. Não tem mais do que isso que possa falar no momento", disse o diretor-executivo de futebol Bruno Spindel, durante a Brasil Futebol Expo, feira organizada pela CBF no início deste mês.

Marcos Braz, vice de futebol, porém, afirmou que até 31 de dezembro o clube tentará formalizar uma tentativa de compra dos direitos do jogador.

Uma década depois, Gabigol demonstra condições de ser o artilheiro do Flamengo com uma média melhor que Adriano e até mesmo que Zico.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget