Bruno Henrique é o cara do Flamengo

LANCE: Na partida sobre a Chapecoense, na manhã deste domingo, o Flamengo atuou de formas distintas no primeiro e no segundo tempo. O gol de Bruno Henrique, contudo, garantiu a vitória por 1 a 0 e a liderança por mais uma rodada ao time da Gávea, que chegou aos 52 pontos. A Chape, por sua vez, segue na lanterna.

O duelo foi o primeiro de uma sequência de cinco entre os dois jogos pela semifinal da Libertadores, contra o Grêmio, e Jorge Jesus teve algumas baixas. Os destaques do confronto e da vitória na Arena Condá você confere abaixo.

PRIMEIRO TEMPO COMO ESPERADO

O futebol do Flamengo nos 45 minutos iniciais serviu como retrato da tabela do Brasileirão no duelo do líder contra o lanterna. A Chapecoense, em casa, foi dominada pelo Rubro-Negro, que terminou a etapa com 65,4% de posse de bola, 13 finalizações (contra uma do rival) e a vantagem mínima no placar. A superioridade foi enorme, mas o único gol marcado manteve a Chape no jogo.

Bruno Henrique em Chapecoense x Flamengo - Foto: Alexandre Vidal
BRUNO HENRIQUE É O CARA

Sem Arrascaeta, lesionado, e Gabriel Barbosa, suspenso, sobrou para Bruno Henrique a responsabilidade de representar o trio ofensivo do Flamengo na Arena Condá. E o atacante, como vem fazendo em 2019, foi decisivo. Desviou de cabeça o cruzamento de Vitinho para marcar seu nono gol no Brasileirão. Além disso, criou boas chances e finalizou com perigo à meta do goleiro Tiepo.

TIROU O PÉ?

Na disputa pelos títulos do Brasileirão e da Libertadores, o Flamengo vive uma sequência de jogos decisivos. Jorge Jesus não tem a prática de poupar atletas, mas, com baixas para este jogo - como Arrascaeta e Filipe Luís, lesionados -, o time diminuiu o ritmo na etapa final. Apesar da Chapecoense ter assustado Diego Alves uma vez, o que não aconteceu no primeiro tempo, o Rubro-Negro seguiu controlando o jogo. Faltou capricho no passe final para ampliar o placar.

SUBSTITUIÇÕES SURTEM POUCO EFEITO

Visto o crescimento da Chapecoense após o intervalo, Jorge Jesus resolveu mudar a equipe, colocando Berrío, primeiro, e Piris da Motta, na sequência. O colombiano entrou no lugar de jovem Reinier e não conseguiu dar maior volume ofensivo ao Flamengo, enquanto o paraguaio entrou para fechar o meio de campo, dando maior liberdade a Arão e Gerson. As substituições, na prática, surtiram pouco efeito, com Berrío tendo que ser substituído com dores.

APROVEITARAM AS CHANCES!

As ausências de alguns titulares deram as oportunidades para Vitinho, Renê e Reinier aparecerem entre os titulares. Se o lateral-esquerdo, já experimentado, teve atuação regular, os dois homens de frente tiveram bons momentos durante a partida, mostrando que podem ser boas opções para Jorge Jesus na sequência. Vitinho errou alguns lances, mais criou as principais chances pelo lado esquerdo, como o passe para o gol de Bruno Henrique. Já Reinier fez boa dobradinha com Everton Ribeiro pelo outro lado, chegando bem à área rival.

Sem Arrascaeta, lesionado, e Gabriel Barbosa, suspenso, sobrou para Bruno Henrique a responsabilidade de representar o trio ofensivo.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget