Fla é melhor, mas o River ainda é o time a ser batido na América

BLOG DO JULIO GOMES: O Flamengo fez, no Rio, o que já poderia ter feito em Porto Alegre: goleou. Enfiou impiedosos 5 a 0 no Grêmio e está na final da Libertadores após quase quatro décadas.

O placar final do jogo de ida foi enganoso, centímetros flagrados pelo VAR evitaram uma contundente vitória flamenguista.

O Grêmio ainda teve uma grande chance de abrir o placar no Maracanã nesta quarta, mas, depois disso… foi só Flamengo. Muito Flamengo. E tenho uma má notícia (para os outros): será muito Flamengo por muito tempo no futebol brasileiro.

O Brasileirão está no papo. A Libertadores, claro, ainda depende do obstáculo mais difícil. O River Plate é o atual campeão, é o grande time do continente nos últimos 5 anos, com um ótimo técnico no cargo durante todo este período. Um time que sabe o que quer e sabe a que joga, além de ter uma camisa pesadíssima.

Gabigol e Everton Ribeiro no Flamengo - Foto: Marcelo Cortes
O Flamengo é mais time individualmente que o River, que deixou claro seu ponto fraco na derrota de terça para o Boca Juniors – a bola aérea é um pandemônio para os argentinos. Mas é um confronto equilibrado, não é possível apontar favoritos, ainda mais em apenas um jogo.

Diferente do que acontece no Brasil. Aqui, o Flamengo é favorito contra quem quer que seja, onde quer que jogue. O Grêmio, que vinha mostrando o melhor futebol do Brasil com Renato, desde 2017, ficou para trás. Ficou tudo isso aí para trás.

E Renato Gaúcho talvez seja o único cidadão que não possa reclamar da diferença orçamentária e de poderio. Não é o técnico do Flamengo porque não quis.

Diferente do que acontece no Brasil. Aqui, o Flamengo é favorito contra quem quer que seja, onde quer que jogue.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget