Qualidade técnica de Flamengo e River exalta o futebol moderno

COMPLETANDO A JOGADA: Por Marco Condez

A definição da final da Libertadores de 2019 com a classificação de River Plate e Flamengo, premia o futebol moderno, pois são times que tem estilos semelhantes, que jogam com posse de bola e intensidade ofensiva.

Apesar disso, cada um possui particularidades bem próprias que seguem os estilos de seus treinadores. Com Marcelo Gallardo, o River guarda maior semelhança ao estilo de Guardiola. A equipe é montada para envolver o adversário através da posse de bola e da movimentação do meio campo.

Já, Jorge Jesus, possui conceitos alicerçados para que o Flamengo seja híbrido, unindo as características de ser controlador e reativo. Dependendo da situação que o jogo lhe impõe, o time carioca consegue alternar a postura tática em campo, sem perder a intensidade.

Gabigol comemorando gol pelo Flamengo - Foto: Marcelo Cortes
Porém, nas semifinais ficou marcada a disposição com que cada um deles se posicionou em campo. O River Plate perdeu o segundo jogo da semifinal para o Boca Juniors, pois abdicou de jogar na maior parte do tempo e preferiu administrar a vantagem conseguida no primeiro jogo, que por sinal lhe garantiu a classificação.

Por outro lado, o Flamengo apesar de não conseguir traduzir sua intensidade desde o início da última partida da semifinal, mudou de postura na segunda etapa do jogo e goleou o Grêmio por 5 a 0. Após o segundo gol, o abatimento do time gaúcho foi evidente, mas o Flamengo continuou perseguindo a meta, mesmo com placar seguro, pois já exercia total domínio na partida.

O estilo, que Jorge Jesus está implantando no Flamengo, tem o diferencial de não desistir. A equipe é incentivada a construir placares mais elásticos e nunca deixar de ser ofensiva. Procurar recuperar a bola com rapidez, quando a perde, é uma das características que diferencia o Flamengo dos demais times brasileiros.

Outro diferencial é a ocupação de espaços feita pelo Flamengo, pois o time ataca e defende sempre em bloco, sem proporcionar lacunas ao oponente. Não utiliza a velocidade somente em contra-ataques, procurando surpreender o adversário quando este está se organizando para sair jogando.

O amor pela bola e a intensidade que esse modelo é praticado está tendo sucesso entre os times brasileiros, haja vista que o Flamengo está se isolando na liderança do Campeonato Nacional, com grandes chances de ser o campeão.

Com certeza, a final da Libertadores contra o River Plate será o maior teste da efetividade do esquema do Flamengo, mesmo porque o time argentino não deverá ter o mesmo comportamento apresentado no jogo contra o Boca Juniors. O mais provável é que o River se apresente controlador, na tentativa de dominar o Flamengo.

Considerando que o River já está adaptado a filosofia de seu treinador Marcelo Gallardo, há chances da equipe argentina se moldar à estratégia do Flamengo e ser superior tecnicamente. Por outro lado, para o Flamengo igualar sua performance à do River, terá que aumentar ainda mais o nível técnico e tático, beirando a perfeição.

O mínimo erro que a equipe brasileira cometer, poderá ser aproveitado pelos argentinos. Por isso, creio que o Campeonato Brasileiro será importante para o Flamengo testar formações e variações no esquema já implantado, mas em fase de consolidação, uma vez que o trabalho de Jorge Jesus é relativamente recente.

É complicado apontar favoritismo para um dos lados. Mas, pelo tempo de trabalho que o River Plate tem com a mesma comissão técnica, poderá estar taticamente mais preparado. Mas, isso não impede que o Flamengo consiga surpreender. O que há de certeza é que teremos um confronto de elevado nível técnico e tático.

O que há de certeza é que teremos um confronto de elevado nível técnico e tático.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget