Flamengo de Jorge Jesus tira 27 pontos do Palmeiras

BLOG DO ANDRÉ ROCHA: O Allianz Parque não comprou o discurso de Mano Menezes, que tratou o jogo contra o Flamengo em casa como uma espécie de decisão. Nem o próprio time de Jorge Jesus, que liberou Pablo Marí para ir a Espanha resolver problema de visto de trabalho e deixou o capitão Everton Ribeiro no Rio de Janeiro tratando uma dor no joelho.

Com estádio morno e longe de estar lotado, tornando ainda mais ridícula a decisão de MP e PM de SP de sugerir torcida única, a superioridade rubro-negra ficou clara no contragolpe do primeiro gol. Que precisou do VAR para confirmar a posição legal de Arrascaeta no momento do passe de Bruno Henrique. Assistência de Gabriel Barbosa, 12º gol do uruguaio no Brasileiro. Com três minutos de jogo.

Jogadores do Flamengo comemorando gol contra Palmeiras - Foto: Alexandre Vidal
Mesmo com a torcida alviverde inconformada com Mano e equipe, cantando "time sem vergonha" em boa parte do jogo, o árbitro Ricardo Marques Ribeiro conseguiu complicar o seu trabalho. Não marcou pênalti claro de Rhodolfo sobre Dudu. Pior: assinalou um impedimento ridículo do camisa sete. Também aliviou Rafinha, que exagerou na marcação sobre Dudu e fez por merecer o segundo amarelo e o vermelho, especialmente no pisão sobre o adversário no finalzinho do primeiro tempo.

Mas nada que torne contestável o passeio do campeão brasileiro e da América do Sul. Nos últimos minutos antes do intervalo e logo na volta para a segunda etapa definiu o jogo com dois de Gabriel Barbosa. O primeiro em bela jogada que teve inversão de Rafinha para assistência de cinema de Arrascaeta. Depois a pressão de Gerson que fez a bola chegar ao artilheiro, agora com 24 gols, à frente do goleiro Jailson.

Daí para o final, a tônica do jogo foi o Palmeiras tentando mostrar ao menos honra. Bruno Henrique e Willian carimbaram as traves de Diego Alves. O "Bigode" ainda marcou gol bem anulado por impedimento no início da jogada e Matheus Fernandes foi às redes e diminuiu para 3 a 1.

Jesus trocou Bruno Henrique por Diego no intervalo, depois preservou Rafinha colocando Rodinei e Vitinho saiu por problemas físicos para a entrada de Piris da Motta. E reduziu ainda mais o ritmo, apelando para alguns lances de efeito. Gerson e Gabriel sentiram e ficaram em campo fazendo número. E novamente Ricardo Marques Ribeiro errou em lance de Rhodolfo com Dudu. Outra falta clara do zagueiro sobre o ponteiro, mas desta vez fora da área.

O jogo foi o retrato do campeonato: quando o Flamengo se organizou e acertou a formação titular – justamente contra o Palmeiras, os 3 a 0 no Maracanã que custaram o emprego a Luiz Felipe Scolari – não houve competição. Enquanto o melhor time jogou minimamente sério, o concorrente não teve chances.

A matemática explica: Jorge Jesus estreou na décima rodada. Com o Fla oito pontos atrás do Palmeiras. O triunfo na 36ª rodada fez o campeão abrir 19 pontos. Ou seja, tirou 27 pontos no mesmo número de jogos. Um por rodada. Se fosse F-1 seria como abrir uma volta sobre o terceiro colocado. Simbólico.

Se fosse F-1 seria como abrir uma volta sobre o terceiro colocado. Simbólico.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget