Técnico do Náutico critica Jorge Jesus: "Quer aparecer"

TORCEDORES: O comportamento de Gilmar Dal Pozzo lhe rendeu o apelido de “padre”. Sereno, o técnico do Náutico é o oposto dos treinadores que costumam ser mais agitados à beira dos gramados, como Jorge Jesus, do Flamengo. Questionado sobre a postura de alguns colegas de profissão e do próprio português, ele não os poupou das críticas.

“Se o Jesus se atirar de uma ponte, todo mundo vai querer copiar porque foi campeão (da Libertadores e do Brasileirão Série A). Acho que é muito oportunismo, naquele momento, porque o torcedor está ali, a imprensa. Chegar e fazer uma cobrança… Não sei. Para mim, é querer aparecer”, disparou o comandante do Timbu, referindo-se ao episódio em que o técnico luso discutiu com o lateral-direito rubro-negro Rafinha, no triunfo dos cariocas, por 3 a 1, sobre o Internacional, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro, em 25 de setembro.

Foto: Divulgação
Em 2019, Dal Pozzo conseguiu levar o Náutico de volta à Série B nacional e, de quebra, conquistou o título da Terceira Divisão. Uma campanha que contou com determinadas precauções do treinador.

“Eu tenho muito cuidado na hora de gesticular, tanto para o bem quanto para o mal. Porque me dá a impressão que na hora boa, comemorar com torcedor, pular alambrado, é ser marqueteiro. Para mim, isso é ser marqueteiro. Como na hora que um atleta erra um passe, perde um gol ou o goleiro toma um gol, ficar gesticulando, colocar o teu goleiro contra o torcedor”, destacou Gilmar.

Ele é o oposto dos treinadores que costumam ser mais agitados à beira dos gramados, como Jorge Jesus, do Flamengo.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget