Jesus mantém patamar do Flamengo, mas precisa ampliar leque

TORCEDORES: Allan Abi Madi

É notória a diferença técnica e tática do time comandado por Jorge Jesus, com a nítida impressão que não precisou se esforçar para obter três vitórias no Estadual, mesmo longe do preparo físico ideal.

No Fla x Flu da última quarta-feira, vencido pelo rubro-negro por 3 a 2, ficou mais uma vez evidente que, enquanto teve fôlego, o atual campeão Brasileiro e da Libertadores sobrou.

Com gols de Bruno Henrique e Gabigol, o Flamengo abriu 2 a 0 com apenas 8 minutos de jogo. Ampliou em um golaço de Filipe Luís no início do segundo tempo, com assistência primorosa de letra de Gabriel Barbosa.

Filipe Luís, Rafinha e Gabigol no Flamengo - Foto: Alexandre Vidal
O rubro-negro ainda desperdiçou oportunidades claras para ampliar o marcador. Um pouco por displicência, um pouco por falta de ritmo de início de temporada.

O volume de jogo e a intensidade do time nos primeiros 60 minutos chamaram muita atenção. O que prova a tese de Jorge Jesus: por mais impressionante que seja, o Fla 2020 pode ser melhor que o de 2019.

Difícil ver esse Flamengo sem se surpreender a cada jogo! O placar, que chegou a ser 3 a 0, acabou em um apertado 3 a 2 por dois motivos.

O desgaste físico fez diferença no meio do segundo-tempo. O Fluminense, que fez sua pré-temporada antes do Estadual, tem oito partidas oficiais. Já o rubro-negro, que se reapresentou bem depois, completou seu terceiro jogo.

O outro motivo, por incrível que pareça, eu boto nas escolhas de Jorge Jesus por ser início de temporada.

O LEQUE DE JESUS NO FLAMENGO:
Nas três partidas oficiais do time principal, o Mister mudou praticamente as mesmas peças, com substituições parecidas, tanto que Thiago Maia e Pedro Rocha ainda não estrearam.

Acho que Jesus poderia ter testado outras opções, poupando também alguns atletas. Léo Pereira sentiu no segundo-tempo, assim como Bruno Henrique, que disse após o jogo que não preocupa.

O próprio treinador falou que trataria os jogos do Estadual como pré-temporada. E no próximo domingo, tem uma final que vale título nacional, além de uma gorda premiação.

Vale lembrar que Jesus citou o desgaste de 80 jogos na temporada passada após a decisão do Mundial de clubes contra o Liverpool.

Ficou nítido que o Flamengo cansou no segundo tempo do Fla x Flu. Acredito que o Mister poderia ter matado dois problemas de uma vez: dando oportunidade para alguns jogadores, testando variações.

Minha questão não é poupar ou não poupar durante a temporada, mas sim na pré-temporada. Para isso que o Estadual deve servir, além da possibilidade de fazer testes e promover estreias.

“O fato dos jogos serem oficiais não me permitem fazer cinco, seis substituições, como seria em uma pré-temporada normal. Se são os primeiros jogos do ano, é pré-temporada. Nosso adversário queria vencer o título, mas estamos em outro patamar como diz o outro” – afirmou o Mister após o Fla x Flu.

As substituições foram praticamente as mesmas nas primeiras rodadas. Saídas e entradas entre Gérson, Arrascaeta, Éverton Ribeiro, que não saiu no clássico, Diego, Michael e Pedro.

Pelo desgaste no segundo tempo do Fla x Flu, acredito que não foi boa a entrada do Diego, que já não tem a mesma disposição física e velocidade de tempos atrás, nem a saída de Gérson, que fazia bom clássico e mostrava folego.

Arão, que já tinha cartão, poderia ter deixado o campo para estreia de Thiago Maia. Com 3 a 0 no placar, até os velocistas Pedro Rocha, que ainda não atuou em 2020, Michael, ou Vitinho, poderiam ter entrado.

“O que condiciona muito estes jogos oficiais é não poder dar oportunidades a mais jogadores. Tem o Thiago (Maia), o Vitinho e todos os jogadores importantes. Fizemos três jogos e fizemos as mesmas substituições. Temos um time do jogadores com trabalho de sete meses e não é fácil um jogador chegar ao Flamengo e jogar. O nível é alto e eles não têm conhecimento técnico e tático que esse time tem” – justificou o técnico após o Fla x Flu.

Após ter um 2019 primoroso, Jorge Jesus sabe melhor do que ninguém como gerir esta questão no Flamengo. Isso é fato comprovado!

Mas, tendo uma sequência de 4 jogos decisivos pela frente, com viagens e altitude, acredito que o Mister poderia ter ampliado seu leque de observação.

Como o próprio Jesus fala: “joga hoje, descansa nos próximos dias para jogar a próxima partida”.

Fato é que Fevereiro pode botar no nome do treinador português ainda mais na história do clube. O Flamengo disputa o título da Supercopa do Brasil e da Recopa Sul-americana nos próximos dias.

Sem contar a final da Taça Guanabara, que daria uma tranquilidade maior para o Mister ampliar seu leque de observações durante o Estadual.

Sem contar a final da Taça Guanabara, que daria uma tranquilidade maior para o Mister ampliar seu leque de observações durante o Estadual.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget