'Neymar equatoriano' tenta superar feito de Gabigol em 2019

EXTRA GLOBO: Marcello Neves

O Barcelona de Guayaquil quer lutar contra o rótulo de saco de pancadas do Grupo A da Libertadores. Para isso, terá a seu favor a presença de Neymar. Mas não é o craque brasileiro do Paris Saint-Germain. Este é o apelido de Fidel Martínez, de 30 anos, que mira um feito de Gabigol e é a principal esperança dos toureiros contra o Flamengo, nesta quarta-feira, no Maracanã.

Basta olhar para Fidel para entender a alcunha. O estilo extravagante, correntes e roupas de marca dão a imagem, mas o atacante do Barcelona é conhecido por ser humilde, tranquilo e querido por funcionários e jogadores. O apelido surgiu em 2013, quando defendia o Tijuana, do México, e ostentava um chamativo cabelo "estilo pica-pau".

— Fidel Martínez é um jogador versátil, recursivo e desequilibrante no um contra um. É um goleador mesmo não sendo um '9'. Atualmente é o melhor jogador do Barcelona — conta o jornalista equatoriano George Plaza.


O "Neymar de los Andes" está fazendo justiça ao apelido nesta Libertadores. Fidel é o artilheiro da competição com oito gols marcados, mas explica-se: a equipe equatoriana disputou os seis jogos das três fases preliminares, onde o atacante marcou os gols. Diferentemente de outros torneios, a Conmebol mantém a contagem para a fase de grupos.

Isso o deixa em posição para desafiar até mesmo Gabigol, adversário nesta quarta-feira, que foi o artilheiro da Libertadores de 2019 marcando nove vezes. Ou seja, basta apenas um tento para Fidel desbancar o atacante do Flamengo. Caso marque dois, igualará o recorde da competição neste século.

Apenas o brasileiro Rodrigo Mendes, pelo Grêmio (2002), e o paraguaio Salvador Cabañas, pelo América (2007), conseguiram marcar dez vezes pela Libertadores desde 2001. O recorde pertence ao argentino Daniel Onega, pelo River Plate em 1966, que marcou 17 gols.

— Fidel será um dos convocados por Jordi Cruyff para a seleção do Equador para as Eliminatórias — comenta George.


Na história da competição, Fidel já fez 18 e é o segundo maior goleador equatoriano em Libertadores. Ele está atrás de Alberto Spencer, que marcou 54.

Pouco sucesso no Brasil
Fidel Martinez já jogou no Brasil, mas a sua rápida passagem por terras brasileiras mostra que ele não teve tanto sucesso. Ele chamou a atenção atuando pelo Equador nos Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio de Janeiro, e foi contratado para a equipe sub-20 do Cruzeiro.

Conseguiu se destacar em alguns torneios na base, mas não foi aproveitado nos profissionais. Sem espaço, foi emprestado para a Caldense para a disputa do Campeonato Mineiro em 2009. Não demorou para retornar ao Equador.

— Fidel era do Independiente José Terán e chegou ao Cruzeiro em 2008 como uma promessa. Fez alguns jogos na base, mas não mostrou qualidade para ir ao profissional. Não é muito lembrado na Toca da Rosa — declarou a jornalista Isabelly Morais, do 'O Tempo'

Fidel Martínez apareceu na Libertadores, em 2012, com a camisa do Deportivo Quito. Depois atuou pelo Tijuana, do México, e defendeu outras equipes do país.

Ou seja, basta apenas um tento para Fidel desbancar o atacante do Flamengo. Caso marque dois, igualará o recorde da competição neste século.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget