Para especialista, Flamengo poderá ter que refazer pré-temporada

LANCE: O Flamengo já pôs à disposição do Estado do Rio de Janeiro e da Prefeitura os espaços do Maracanã e os ginásios da Gávea e do Maracanãzinho para colaborar no combate ao novo coronavírus. Agora, o clube aguarda um consenso entre os outros da Série A do Brasileiro para definir se dará férias coletivas - tanto a jogadores quanto a funcionários.

A expectativa é que o período do recesso seja de 23 de março a 21 de abril, algo que foi abordado em uma reunião por videoconferência da Comissão Nacional de Clubes, na última sexta. Há um acordo para que não haja definição individual, o que poderia causar um desequilíbrio ao fim da quarentena.

Foto: Alexandre Vidal
Ainda não tem uma determinação quanto às burocracias atreladas às possíveis férias coletivas - como pagamentos, integrais ou não, e direitos de imagem dos atletas.

E por falar nos atletas, o LANCE! conversou com o doutor João Hollanda, ortopedista especialista em joelho e lesões no esporte, para saber os prejuízos, cautelas e recomendações neste processo atípico.

- A interrupção completa das atividades físicas seria fatal para os atletas: para cada 30 dias fora das atividades, espera-se uma perda de aproximadamente 30% da força muscular. Se a perda de força é rápida, o ganho acontece de forma muito mais lenta. Para aqueles que possuem esteiras e bicicletas ergométricas em casa, é indicada a realização de treinos aeróbicos, mas nem todos possuem isso à disposição. Treinos específicos para o futebol são ainda mais limitados - elucidou, completando:

- Mesmo durante as férias, os atletas dificilmente passam por 30 dias sem atividades físicas. A recomendação é que fiquem dez dias totalmente off, para depois manterem uma prática de exercícios regulares, ainda sem um treinamento formal de futebol. Ainda assim, as lesões musculoesqueléticas, principalmente lesões do ligamento cruzado anterior do joelho ou lesões musculares, são bastante comuns neste momento de retorno, justamente pelos jogadores ainda estarem abaixo de seus melhores condicionamentos físicos. Sair de um período de afastamento completo dos treinos e competições direto para um período altamente competitivo seria bastante arriscado do ponto de vista médico. As lesões certamente não perdoariam os clubes e atletas por isso - alertou o doutor.

Por fim, Hollanda sublinhou a relevância de um novo período de pré-temporada, voltado para o recondicionamento físico mais adequado para a prática do esporte de alto nível, visando evitar lesões.

- Podemos dizer assim que, em um cenário mais positivo, com liberação da volta aos treinos em até três semanas, o retorno precoce às competições seria razoável. Não há indícios de que isso vá acontecer. No caso de um afastamento mais prolongado, querer retornar para as competições sem passar por um novo período de pré-temporada seria bastante temeroso, não apenas do ponto de vista técnico como também pelo risco de lesões.

FALA, CAPITÃO!

Em entrevista à FLA TV, Everton Ribeiro comentou a respeito do prejuízo técnico que a paralisação traz ao time de Jorge Jesus, dentre outros assuntos.

- Vai atrapalhar um pouco esta nossa sequência, mas sabemos que é importante para a saúde de todos. Não sabemos como vai ser, se vai ter jogos um atrás do outro, se vão conseguir arrumar o calendário. Está tudo muito no escuro para nós. Vamos nos preparar bem para voltar e continuar de onde paramos. Continuar bem, buscando evoluir e levantar as taças, que é o mais importante - falou o capitão, de sua casa, seguindo a orientação da Organização Mundial da Saúde.

FLA CEDE EQUIPAMENTOS

Na última tarde, o Flamengo informou que, por conta do coronavírus, os jogadores estão recebendo em casa alguns equipamentos diretos do Ninho do Urubu. A entrega tem sido feita pelo preparador físico Roberto Oliveira.

ORIENTAÇÕES NUTRICIONAIS

Através de seu site oficial, o Flamengo deu espaço à nutricionista Renata Parra, que segue realizando consultas com os atletas por vídeo, passando orientações sobre como manter o sistema imunológico fortalecido, além de adequar o plano nutricional durante esse período.

- Nesse momento em que ele se encontra em casa, o indivíduo que estava fazendo um alto volume de treinos e com alta intensidade precisa realizar algumas adaptações na dieta. Possivelmente, o gasto calórico vai ser reduzido e a ingestão calórica também precisa diminuir um pouco, principalmente no quesito proteínas e carboidratos. É aconselhável aproveitar o momento para aumentar os micronutrientes, a parte dos legumes e verduras, elevando as fibras e o nível de saciedade para que não tenha deficiência dessas vitaminas e minerais durante esse período, quando nosso sistema imunológico mais vai precisar - detalhou Renata, completando:

- Os alimentos que mais contribuem com o aumento da imunidade são aqueles que contêm vitamina C, selênio, zinco, vitamina D e ômega 3. Ter uma alimentação mais rica em vitaminas, minerais e fibras pode ajudar na redução do volume calórico sem sentir fome. Outro ponto importante é aumentar o consumo de água, que também é um nutriente que vai contribuir muito na proteção do nosso sistema imunológico.

Para cada 30 dias fora das atividades, espera-se uma perda de aproximadamente 30% da força muscular.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget