Flamengo diz que não irá aceitar a saída da Azeite Royal

COLUNA DO FLA: A pandemia Mundial do novo coronavírus paralisou, por tempo indeterminado, todas as atividades no Ninho do Urubu e competições nacionais e internacionais. Sem jogos e perspectiva de retorno dos campeonatos, o Flamengo já está sentindo os impactos nos cofres. Nesta segunda-feira (27), o vice-presidente geral e jurídico, Rodrigo Dunshee, explicou as influências na economia do clube e alfinetou o patrocinador que encerrou o contrato.

– O impacto nos contratos e nas relações comerciais é inevitável e está acontecendo. As pessoas não sabem quanto tempo vai durar a pandemia. Quase 90% das pessoas estão sofrendo restrições… Isso desenvolve um efeito dominó. O que a legislação diz: em casos de força maior, você pode afastar os juros de mora. O que é isso? Vencimento antecipado, multa, juros e mora. Esses são os efeitos. Em uma situação dessa, você afasta os efeitos de mora, mas isso não afasta a obrigação de pagar. Mas tem gente usando a alegação de força maior para não cumprir as suas obrigações, como foi o caso de um patrocinador do Flamengo. Rescindiram com o Flamengo, Vasco e Fluminense alegando que a pandemia e a força maior dá o direito de rescindir o contrato. Não, não dá. As atividades do futebol voltarão, os jogos voltarão quem alegar isso terá problemas. É preciso sentar na mesa, negociar, de boa fé, e adimplir as suas obrigações -, comentou Dunshee, em entrevista para a FlaTV.

Foto: Divulgação
O patrocinador em questão é a Azeite Royal, que rescindiu o contrato com o Mais Querido e com os outros três clubes grandes do Rio de Janeiro. Além da perda de um contrato, o Flamengo também está sem receber uma parcela de cerca de R$ 8 milhões da Adidas, fornecedora de material esportivo. A falta de jogos também afeta o clube em arrecadação de bilheteria e no programa sócio-torcedor, que perdeu um número significativo de assinaturas.

Por conta da crise da COVID-19, o Flamengo já está em contato com o Athletico Paranaense e com o Náutico, para renegociar as dívidas pelas contratações de Léo Pereira e Thiago, e já pode tentar, também, renegociar com o Goiás, valores referentes à compra de Michael. Além destes compromissos, o clube também estuda reduzir em 25% os salários de quem receba mais de R$ 4 mil/mês.

Rodrigo Dunshee explicou as influências na economia do clube e alfinetou o patrocinador que encerrou o contrato.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget