Presidente do Madureira ironiza Botafogo por não querer voltar

ESPORTE INTERATIVO: Depois da reunião realizada neste domingo (24) entre os clubes que disputam o Campeonato Carioca, a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) e o prefeito Marcelo Crivella, representantes das equipes voltarão a se reunir na tarde de hoje (25) para avançar com o plano de retomada do estadual. A ideia é que a competição seja reiniciada na segunda quinzena de junho, mas a data exata ainda seguirá em aberto.

Fluminense e Botafogo não enviaram representantes para a reunião com a prefeitura do Rio de Janeiro. Através de uma nota oficial, o tricolor informou que “não recebeu qualquer convite formal do gabinete do Prefeito do Rio de Janeiro para uma reunião com os clubes de futebol. A convocação, feita por Whatsapp, partiu da Federação de Futebol do Rio de Janeiro, sem que houvesse informação e muito menos discussão prévia do tema a ser tratado com a autoridade máxima do governo da capital”. Já o Alvinegro, através do presidente Nelson Mufarrej, se manifestou reafirmando que “passar essa imagem de retorno imediato, no auge da crise, de mortes, com a curva ainda em ascensão, é estar em desconexão com a realidade”.

Para o encontro virtual desta segunda-feira (25), marcado para às 15h, a FERJ enviou um edital de convocação aos clubes. Através da sua assessoria de imprensa, o Botafogo confirmou que terá um representante nesta reunião. O presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, também tem presença confirmada. Mas, segundo apurou a reportagem do Esporte Interativo, o dirigente tricolor irá entrar com um pedido para impugnar este edital.

Neste encontro virtual, a FERJ pretende avançar em alguns temas para a retomada do Campeonato Carioca, um deles é a elaboração da segunda parte do protocolo de segurança “Jogo Seguro”. Além disso, serão discutidas questões envolvendo mando de campo, partidas fora do estado, intervalo entre os jogos e registro de contratos.

Flamengo e Vasco fundamentais para a retomada do Carioca

Desde o começo da última semana, o Flamengo voltou a treinar no gramado do Ninho do Urubu, mesmo que ainda sem autorização. Ao lado do Vasco, o clube tem encabeçado o grupo que trabalha para que o Campeonato Carioca seja retomado o quanto antes.

Segundo apurou a reportagem do Esporte Interativo, as participações do presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, e do presidente do Vasco, Alexandre Campello, na reunião deste domingo (24) com o prefeito Marcelo Crivella foram determinantes para a liberação das atividades esta semana no Rio de Janeiro.

Landim foi enfático ao dizer que, apesar do Flamengo não ter assinado com a televisão, todos os outros clubes precisam do dinheiro e para isso o campeonato tem que terminar dentro de campo. A preocupação é que, com um provável início do Campeonato Brasileiro no fim de julho ou começo de agosto, não sobrariam datas para a disputa do estadual, já que a competição deve invadir o mês de janeiro de 2021. Campello também foi incisivo ao reforçar os protocolos, mostrando que os clubes estão oferecendo aos atletas um ambiente mais seguro do que eles têm hoje.

Há três semanas, o Bangu já puxava a fila dos clubes pequenos e iniciava o processo de higienização do Estádio Moça Bonita, se preparando para a retomada dos treinamentos. O Madureira segue o mesmo procedimento de sanitização e a segunda de quatro sessões está sendo realizada hoje (25) no clube.

Elias Duba - Foto: Divulgação
O Tricolor se prepara para voltar aos treinos nesta quarta-feira (27), com metade do elenco. A outra parte do grupo voltará no dia seguinte e assim será feito, até que todos possam treinar no mesmo dia. Ao todo, comissão técnica e elenco contam com quase 40 profissionais. Todos testaram negativo para a Covid-19 e novos exames serão feitos nesta retomada. Em contato com a reportagem do Esporte Interativo, o presidente Elias Duba acredita que a decisão da prefeitura do Rio de Janeiro foi acertada e que os clubes estão prontos para receber os profissionais com segurança.

“Era o que a gente esperava, porque nas primeiras conversas com a prefeitura a gente não queria fazer nada ilegal, arbitrariamente, a gente queria que fosse permitida a volta de forma gradativa aos treinos. O Prefeito foi muito acessível, ele entendeu, foi explicado o protocolo do “Jogo Seguro” e ficou claro que nós todos estamos tomando as medidas necessárias para o retorno”, explicou o presidente do Madureira.

Por fazer parte do grupo de risco, Elias Duba não esteve na reunião presencial com a Prefeitura do Rio de Janeiro, mas enviou um representante. Questionado sobre as ausências de Botafogo e Fluminense, o presidente do Madureira disse entender o lado do Alvinegro, mas desconhece os motivos do Tricolor para não apoiar o retorno do Carioca.

“Entendo a situação do Botafogo não querer voltar. Eles não têm nada a receber e estão eliminados do campeonato, era mais fácil usar o argumento verdadeiro de que não têm mais nada a fazer e não querem precipitar a volta. O Fluminense, na minha opinião, é picuinha. O Mário Bittencourt participou de todas as primeiras reuniões e sempre esteve de acordo em voltar, quando as autoridades permitissem. Ninguém recebeu convite especial para essa reunião com o Prefeito, todo mundo foi convidado via Whastapp pelo presidente da FERJ”, opinou Elias Duba.

O presidente do Madureira disse entender o lado do Alvinegro, mas desconhece os motivos do Tricolor para não apoiar o retorno do Carioca.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget