Banco BRB é o novo patrocinador Master do Flamengo

METRÓPOLES: O Banco de Brasília (BRB) e o Flamengo vão se tornar sócios na gestão de um banco digital. Com a operação inédita, a instituição financeira, cujo sócio majoritário é o Governo do Distrito Federal (GDF), vai se juntar ao maior time de futebol do país para lucrar nas mais diversas transações bancárias.

O BRB passará a estampar a camisa do Flamengo, na posição mais nobre: o peito. Além disso, as duas marcas constarão nos cartões pré-pagos e de débito que serão disponibilizados aos clientes. O contrato tem o valor-base de R$ 35 milhões, mas esse montante pode subir dependendo de performance do clube nas ações de marketing conjuntas com o BRB.

Foto: Divulgação
Todas as transações bancárias envolvendo o clube, como pagamento de salários de jogadores e de funcionários, passarão pelo BRB. O Flamengo ostenta a maior torcida do Brasil, com uma legião de mais de 40 milhões de seguidores, segundo pesquisa Datafolha.

O início da vigência do contrato é 1º de julho. O lançamento do banco digital está previsto para o dia 15 do mesmo mês. A plataforma irá oferecer contas digitais e cartões de débito e crédito pré-pago, além de investimentos, produtos previdenciários e de capitalização.



Com validade de três anos, prorrogáveis por mais dois, o acordo estabelece a divisão de lucros igualitária entre o BRB e o Flamengo. Ou seja: 50% para cada. A expectativa do BRB é de abrir 1,5 milhão de contas digitais, emitir 3 milhões de cartões pré-pagos e, já no primeiro ano, movimentar R$ 5 bilhões em transações financeiras.

Atualmente, o BRB tem 750 mil clientes. Com o banco digital em parceria com o Flamengo, a expectativa dos gestores é de que, em cinco anos, a instituição financeira quintuplique de tamanho. Se os cálculos dos criadores do banco digital se confirmarem, estima-se que a plataforma chegue a valer R$ 2 bilhões.

Crescimento

Segundo o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, o acordo faz parte da estratégia de crescimento digital da instituição e da expansão do banco brasiliense no país.

“Essa é uma iniciativa inédita. Quando todos pensaram que a gente patrocinaria o Flamengo, viemos com uma novidade que vai gerar lucros para os dois parceiros e, no caso do BRB, ajudar a projetar o banco nacionalmente. Um compromisso da nossa gestão”, disse.

A meta do banco ao se associar a um time de futebol é aumentar a carteira de clientes a partir do engajamento dos torcedores com a marca.

“Existe uma relação afetiva de milhões de brasileiros com o Flamengo. Assim, toda vez que eles fizerem qualquer movimento nesse banco digital, vão ter a certeza que estão colaborando para seu time do coração”, afirmou.

Atualmente, o BRB tem 750 mil clientes. Com o banco digital em parceria com o Flamengo, a expectativa dos gestores é de que, em cinco anos, a instituição financeira quintuplique de tamanho. Se os cálculos dos criadores do banco digital se confirmarem, estima-se que a plataforma chegue a valer R$ 2 bilhões.

Como todo banco digital, os principais atrativos são ausência de tarifas e o atendimento full time. No caso dessa nova instituição, serão oferecidas vantagens para estimular os torcedores, como pré-venda de ingressos para jogos e descontos na compra de produtos do Flamengo.

Além disso, serão criados benefícios específicos para agradar aos flamenguistas como, por exemplo, viagens para acompanhar o time em futuras disputas de campeonato em premiação de títulos de capitalização.

Ao mesmo tempo em que a instituição prepara um enxoval para brilhar os olhos dos flamenguistas, o BRB também lançará o serviço de banco digital para outros clientes. As condições serão parecidas, mas haverá diferenças em relação às cores do aplicativo e na oferta de benefícios, que não serão vinculados ao time de futebol.

Houve, nas últimas semanas, uma especulação de que o BRB assumiria o patrocínio master do Flamengo. A direção do banco descartou a hipótese, mas a essa altura já negociava com o presidente do time, Rodolfo Landim, a parceria com a divisão de lucros.

Governança compartilhada


O acordo prevê a criação de uma governança compartilhada com participação de dirigentes das duas instituições. Também estabelece um mínimo garantido ao Flamengo caso não haja proventos advindos das operações financeiras. Esse valor será abatido dos dividendos.

Em um primeiro momento, não vai haver mudança da natureza jurídica de nenhuma das partes, mas em uma segunda etapa será criada uma empresa que vai formalizar a existência do banco digital. Até lá, a plataforma surge como um produto da carteira de negócios com o chassi do BRB.

A maior parte dos produtos vai ser disponibilizada por meio digital, coerente com a vocação do banco, mas em alguns pontos do país serão criadas lojas-conceito para a venda casada de itens das duas marcas. O acordo está sendo formalizado nesta sexta-feira (19/06).

A instituição bancária também patrocina o basquete do clube carioca desde julho de 2019. A parceria garante, por exemplo, que o time mande alguns de seus jogos no Distrito Federal, o que aconteceu em janeiro deste ano.

O contrato tem o valor-base de R$ 35 milhões, mas esse montante pode subir dependendo de performance do clube.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget