Críticos ao Flamengo, Bota e Flu passam vergonha com Vigilância

R7: Eduardo Marini

A Vigilância Sanitária da prefeitura do Rio de Janeiro, numa decisão elogiável, vistoriou os centros de treinamento dos clubes que disputam o Campeonato Carioca nesta terça-feira (23).

As conclusões dos fiscais:

Flamengo – “Em conformidade com as regras”.

Botafogo, Fluminense, Vasco e os outros clubes – “Foram identificadas cabines de higienização, ausências de dispensadores de álcool em gel e de sabão líquido em lavatórios, de álcool em gel em áreas de acesso e circulação, lixeiras inoperantes e falta de lixeiras com tampas acionadas por pedal, ausência de funcionários de limpeza e de cartazes informativos sobre as Regras de Ouro para a prevenção da Covid-19".

Foto: Divulgação
Fluminense e, principalmente, Botafogo são os mais inflamados críticos da decisão de Flamengo e Vasco de voltar aos treinamentos e aos jogos do Carioca num momento em que a pandemia de coronavírus ainda evolui na Cidade Maravilhosa, no Estado do Rio e no país.

No auge da troca de farpas, o ex-presidente e atual integrante do comitê gestor do Botafogo, Carlos Augusto Montenegro, lançou uma ironia macabra: “Tomara que (os jogadores rubro-negros) não tenham que treinar no (cemitério) São João Batista, Caju o Jardim da Saudade”.

Em outro momento, lembrando o trágico incêndio no Ninho do Urubu que custou a vida de dez meninos da base rubro-negra, disparou: “Não tivemos garotos incendiados”.

O presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, reforçou o bombardeio. “É um desrespeito jogar no Maracanã com um hospital de campanha ao lado”.

A Vigilância Sanitária não revelou quais dos problemas relatados foram encontrados no CT de cada clube.

De qualquer forma, o fato mero de ter constatado qualquer das irregularidades no CT do Fluminense e, principalmente, do Botafogo (acharam mais do que uma?) abre espaço para um questionamento.

A pressa do Flamengo em voltar aos campos é polêmica e passível de crítica, quanto a isso não há resquício de dúvida.

Mas, após um reinício com 38 contaminados em todo o clube, entre eles três jogadores, o rubro-negro conta atualmente com um elenco cem por cento curado e, atesta agora a vigilância, em condições ideais de trabalho.

Quanto a Montenegro e Bittencourt, as irregularidades em seus territórios não inviabilizam as contestações à iniciativa do Flamengo de se adiantar no retorno.

Mas é indiscutível: ficou feio terem sido flagrados no pulo justamente no momento em que cobram responsabilidade do rival com tanta ênfase e acidez.

Mesmo porque os buracos de procedimento descritos nos CTs do alvinegro e do tricolor são primários, elementares, nada que envolva grandes ações e investimentos para serem tapados. 

Ficou feio, Montenegro.

Ficou feio, Bittencourt.

A subsecretária de Vigilância Sanitária da prefeitura do Rio, Marcia Rolim, deu prazo para que os clubes resolvam as pendengas. E informou que sua equipe voltará nos próximos dias para conferir.

Vamos ver se as soluções serão constatadas no retorno para aliviar a saia justa e o constrangimento.

Ficou feio, senhores. Ficou feio.

Fluminense e, principalmente, Botafogo são os mais inflamados críticos da decisão de Flamengo e Vasco de voltar aos treinamentos.

Postar um comentário

[facebook]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget